Você é um bom líder ou gestor?

Desenvolvo lideranças. Faço isso por acreditar na importância dessa missão. Há oito anos como coach, ainda percebo dificuldades em alguns aspectos que são muito relevantes para que realmente se cumpra a missão do líder, do gestor, independentemente do nível que ele atua.

Nessa função, é fundamental inspirar o time a atuar na melhor performance possível, fazer o que precisa ser feito para que os planos da organização sejam alcançados, com a missão e o propósito sempre em mente e com todos os valores respeitados e vividos.

Que tal algumas práticas para contribuir que tudo isso seja constante e consistente, relevante e de resultados? Tenha um plano de trabalho. Um mapa de atuação. Uma rotina de gestão.

1. Indicadores e atividades. O que mostra que você está fazendo um bom trabalho? Ou seja, que números você precisa ver diariamente/semanalmente/mensalmente? Quais as atividades que só você pode fazer, ninguém mais, mesmo que tivesse gente muito bem preparada para fazer? Muitos líderes fazem trabalhos de funções subordinadas, sob a máscara de não terem pessoas preparadas. Vale lembrar que preparar as pessoas (ou contratar as pessoas preparadas é a sua missão). Determine na sua agenda qual será o momento em que você vai fazer isso.

2. Separe um tempo para conversar com seu time. A frequência depende de cada negócio, da maturidade de cada time e cada gestor. Não ter esse compromisso na sua agenda é deixar o time abandonado. Monte uma pauta regular e com espaço para assuntos que possam deixar sua equipe ainda mais forte.

3. Tenha um momento individual com cada liderado direto. É importante que ele saiba o que você espera dele e quais indicadores você analisa para isso. O feedback é fundamental para que você saiba o que motiva cada um e até o que desestimula, aproveite para responder mostrando a ideologia da empresa, se for o caso, mas deixe claro que todo opinião é bem vista e será estudada. É uma forma de você o ajudar a melhorar habilidades, atitudes e relacionamentos e, porque não, melhorar também o processo do trabalho.

4. Agora é a sua vez de saber se está indo bem. Peça que lhe digam o que você deve continuar fazendo por contribuir muito para o melhor de todos e o que você deve prestar mais atenção. Faça esse bate-papo, pelo menos, a cada seis meses para analisar se você está evoluindo e ficando mais vez mais alinhado à empresa e a sua responsabilidade.

5. Coloque na sua agenda um bate papo com seu líder. Se ele não lhe provocou para isso, pense no que é importante você mostrar a ele, que indicadores seria legal ele acompanhar. Prepare uma sugestão de pauta, peça uma frequência viável e produtiva.

Se você levar a sério essas dicas, você realmente terá a sua gestão em mãos. E assim, você saberá onde atuar para ajustar a estratégia a cada passo, além de ter o time em suas mãos, por estarem próximos e alinhados. Aí, é só perceber a performance e os resultados em ascensão. Se você já faz essas coisas, parabéns! Você faz parte de um grupo de gestores diferenciados. E pode nos contar o quão gratificante é se dedicar às pessoas para que elas se dediquem às tarefas.

FONTE: administradores.com.br

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Trabalho Temporário e Recursos Humanos

Se Inscreva

(11) 3040-8889

(41) 2626-1439

(48) 3181-0386

(51) 3778-0000

© 2020 GP Temporários.  Todos os direitos reservados.